main

Onde ir

A região do Marais

27 de março de 2019 — by Carol Pio Pedro4

A-regiao-do-marais-chez-marianne-30joursaparis-e1553723682720.jpg

Situado no coração da capital francesa, a região do Marais vem despertando cada vez mais interesse entre os viajantes que buscam conhecer uma Paris diferente daquela já consolidada no imaginário cujos bairros referência eram Quartier Latin e Saint-Germain-des-Prés. Enquanto essas áreas sofreram profundas mudanças durante a grande reforma promovida pelo Barão Haussmann na segunda metade do séc. XIX ganhando amplas avenidas, praças, parques, ruas arborizadas e unicidade arquitetônica – tal como conhecemos hoje – o Marais escapou ileso às obras de embelezamento, mas caiu no abandono por quase um século.

Ruas estreitas e fachadas tortas - Haut Marais
Ruas estreitas e fachadas tortas – Haut Marais

Desde sua revitalização, na década de 1970, o bairro se tornou uma das áreas mais efervescentes de Paris, um lugar único na cidade justamente por ter preservado seu traçado urbano e conjunto arquitetônico medieval. Hoje, a região que compreende os distritos (arrondissements) 3 e 4 se tornou um labirinto de lojas cool, excelentes cafés e restaurantes comandados por jovens chefs e muitas galerias de arte independentes – espaços de muita personalidade que ocupam prédios antigos de fachadas tombadas com letreiros indicando a antiga inclinação comercial do lugar. Um charme!

Fachada preservada do Boot Café, no Marais.
Fachada preservada do Boot Café, no Marais.

O Marais concentra grande parte da comunidade judaica e por isso a influência desta cultura é bastante presente nas ruas. Vemos sinagogas, escolas, lojas, pâtisseries e restaurantes especializados em comida kosher. O bairro também é point da comunidade LGBT, com muitos bares, livrarias e baladas voltados a esse público. Acho o máximo observar a dinâmica de convivência dessas duas comunidades.

Rue des Rosiers, uma das ruas mais movimentadas do Marais.
Rue des Rosiers, uma das ruas mais movimentadas do Marais.

Algumas dicas turísticas e outras bem pessoais do que ver:

Baixo Marais: compreende a área mais movimentada e frequentada pelos turistas.

  • Église Saint-Paul-Saint-Louis: uma monumental porta vermelha indica que você chegou à principal igreja do Marais, que foi construída durante o reinado de Louis XIII entre 1627 e 1641 para a ordem dos jesuítas.
Église Saint-Paul-Saint-Louis
Église Saint-Paul-Saint-Louis
  • Place des Vosges: é a praça planejada mais antiga da cidade e considerada por muitos a mais bonita também. Ao seu redor há 36 prédios com fachadas idênticas de tijolos vermelhos e em um dos apartamentos está o Musée Victor Hugo, antiga casa do famoso escritor.
Place des Vosges, minha paixão!
Place des Vosges, minha paixão!
  • Pâtisserie Sacha Finkelsztajn: situada na pequena e animada rue des Rosiers, essa loja de doces e pães kosher é uma graça, além de preparar coisinhas deliciosas. Geralmente está cheia, mas o atendimento é rápido.
  • Jardin des Archives Nationales: escondido no terreno de um antigo hôtel particulier (mansão), onde hoje funciona o Museu dos Arquivos Nacionais, esse belo jardim tem uma atmosfera romântica e acolhedora.

Haut Marais: compreende a área mais ao norte frequentada pelos locais

  • Marché des Enfants Rouges: classificado na lista de monumentos históricos esse é o mercado coberto mais antigo da cidade. Possui diversos stands de comida de diferentes partes do mundo e é atração concorrida entre os parisienses aos fins de semana.
  • Square du Temple: perfeito para uma pausa ou piquenique num dia ensolarado, esse jardim tranquilo e arborizado fica em meio à agitação da rue de Bretagne e rue du Temple – duas vias importantes do bairro repletas de bares e lojas.
  • BigLove Caffè: irmão caçula dos restaurantes italianos pertencentes ao grupo Big Mamma, o BigLoveCaffè também apresenta um cardápio caprichado. As pizzas sem gluten fazem o maior sucesso. Excelente pedida para um brunch no fim de semana num ambiente de mercearia italiana.
O delicioso Big Love Caffé, do grupo de restaurantes italianos Big Mamma.
O delicioso Big Love Caffé, do grupo de restaurantes italianos Big Mamma.
  • Merci: a conceptstore mais bacana na minha opinião! Ali você encontra de móveis e roupa de cama à itens de papelaria e sabonetes. Adoro o Café deles que tem as paredes cobertas de estantes com livros e as janelas com vista para um antigo Fiat 500 estacionado no pátio.
Concept store Merci - adoro!!!
Concept store Merci – adoro!!!
  • Musée Picasso: instalado em um belo hôtel particulier o museu possui um acervo fantástico de todas as fases do gênio cubista e sempre traz exposições temporárias relacionadas ao pintor. É um dos meus favoritos na cidade!

Minha sugestão é reservar um dia inteiro nessa região para ter tempo de explorar – sem roteiro – as ruazinhas, as lojas bacanas pelo caminho, as praças e jardins escondidos e aos poucos entrar no ritmo dos parisienses. Apesar do excelente comércio, o Marais é um bairro residencial e, portanto, ao longo de todo o dia você encontrará com os moradores exercendo sua rotina: pessoas indo para o trabalho, comprando pão na boulangerie, lendo jornal na terrasse dos cafés, crianças brincando nas pracinhas públicas na volta da escola, amigos se encontrando num fim de tarde ou saindo para jantar. Esqueça que você é um viajante e entre no clima do bairro!

Lindas fachadas do comércio no Haut Marais.
Lindas fachadas do comércio no Haut Marais.

Bisous,

Carol